... Expressividade ...

"Decifra-me mas não me conclua, eu posso te surpreender! - Clarice Lispector

Textos


Você nunca gostou de mim.

Eu acho que no fundo eu sempre soube disso, mas independentemente de toda a dor que tu me causava, de toda a paranoia, do estrago, da ansiedade, das olheiras, e de todo o pânico de se ver sozinha pelo resto da vida, se você decidisse partir, eu quis continuar; sendo esfaqueada de dentro para fora, me ferindo como nunca achei que algum dia me feriria, apenas para te ter por perto.

E pra quê? Você foi embora ainda assim, e me arrastou pelos cabelos junto com você.

Levou tudo o que eu era, e ainda tudo que eu havia me tornado — que mesmo sendo pouco, você levou. Eu sei que a culpa de tudo isso é minha.

Eu nunca devia ter colocado a obrigação de me fazer feliz nas tuas mãos.

Eu sangro, de tanto arrependimento. E com o dedo na goela, eu estou vomitando todo o amor que sobrou. Junto dos esqueletos mutilados das borboletas que você matou no meu estômago, quando se Logo eu, meu Deus, tão cheia de nada, ainda quis dar tudo pra você... 
Mone TCarmo
Enviado por Mone TCarmo em 08/09/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (Simone T Carmo, www.monetcarmo.prosaeverso.net) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras