... Expressividade ...

"Decifra-me mas não me conclua, eu posso te surpreender! - Clarice Lispector

Textos


Ela entendeu e reconheceu que a presença do amor não é compreendido por todos. O Imaginamos um dia, o queremos quando sentimos que o encontramos e então o recusamos pelo medo da força com que ele chega e se instala na gente!

Ele a ensinou que amar não pode ser apenas um embrulho da nossa fantasia.  Amar quase nunca é nada daquilo que alguma vez pensávamos que fosse. Amar é transcender o grito do corpo, do desejo, do tesão...  É voar até onde nunca voámos e ver a oportunidade de sermos pleno na cumplicidade de guardar segredos e desejos só  nossos. É ser inquilino permanente na outra alma... É espantar o medo e deixar a coragem chegar apenas com um sorriso e um brilho nos olhos.

Ele à ensinou a responder no silêncio as perguntas e os desejos, que ele carrega dentro de si,  quando longe está.

Ela em fim teve a certeza de que vai ama-lo pelos anos, eras, ate o existir do fim, quando os olhos fecharem-se e o pensamento se aquietar e mesmo assim, haverá ainda amor pra quem ficar.
MoneCat
Enviado por MoneCat em 07/05/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (Elasendopoesia) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras