... Expressividade ...

"Decifra-me mas não me conclua, eu posso te surpreender! - Clarice Lispector

Meu Diário
08/01/2018 23h33
Algumas histórias e o FIM (texto de Marcos Bulhões)

Algumas historias tem de chegar ao fim para outras começarem, tem gente que não dá pra levar pra sempre. Afinal algumas histórias são como dentes de leite, fez parte de uma época inocente, onde tudo era sincero. Mas com o tempo essas histórias vão ficando por um fio. Porque coisas maiores estão chegando, e uma hora ou outra a gente tem de crescer, arrancar de nós o que não é mais nosso. Dói! Fica um buraco, é impossível sorrir, mas o tempo...

O tempo coloca tudo no seu lugar! Os dentes, as histórias, as pessoas...

E com um sorriso de maturidade as perdas do passado deixam de ser dor, e viram histórias, histórias de criança, de um sorriso que caiu, para dar espaço a outro melhor. 


Publicado por Monet Carmo em 08/01/2018 às 23h33
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (Marcos Bulhões) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.
 
08/01/2018 23h27
Futuro ex amor (texto de Marcos Bulhões)

Não é que tenhamos terminado, nunca chegamos a assumir um compromisso, ou melhor um relacionamento. Compromisso nós tínhamos! De fazer o outro sorrir, de contar como foi o dia, já tínhamos até nossos apelidos, nossas manias, nossos segredos, mas aos poucos a gente vai ficando distante, a conversa se encurta, os minutos de áudios se tornam apenas um misero "se cuida" e a gente se despede sem nem ao menos termos nos recebido. Quando um namoro acaba ao menos temos o direito de sofrer por aquilo que nós tínhamos e nos foi tirado, mas e quando nem algo nós tínhamos e ainda assim perdemos isso? Sofrermos por perder aquilo que não tivemos a oportunidade de ter, então todos aqueles beijos, as memórias, o primeiro café e o olhar agora se resumem a uma unica palavra: "quando der a gente se vê", a velha desculpa que nós damos quando sabemos que não nos veremos mais. Adeus, futuro ex-amor, que não chegou a existir.

 


Publicado por Monet Carmo em 08/01/2018 às 23h27
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (Marcos Bulhões) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.
 
08/01/2018 23h08
Quer foder comigo? (texto de Marcos Bulhões)

"Quer foder comigo?"

Sexo casual é o novo modelo de relacionamento, uma mensagem, um olhar, algumas palavras e pronto. O sexo ganhou um novo pseudônimo; o aclamado "foda"

Então prepare o preservativo que a noite será de prazer. Mas a preservação não é só por uma gravidez inesperada ou uma dst, também nos preservamos do compromisso; do apego, das cobranças e do Amor. É mais fácil tirar a roupa do que o sorriso, tocar corpo do que o coração. Preferimos alguém pra comer em uma noite, a alguém que fique para comer com a gente no café da manhã. Estamos tão fragilizados com compromisso que matamos o prazer enquanto a carência nos enterra. Houve um tempo em que as pessoas faziam amor, e eram felizes, mas hoje elas fodem, e talvez por isso exista pouca gente feliz e tanta gente fodida.


Publicado por Monet Carmo em 08/01/2018 às 23h08
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (Marcos Bulhões) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.
 
08/01/2018 00h42
Coragem...

🤞🤞🤞🤞🤞🤞🤞🤞🤞🤞🤞🤞🤞🤞🤞


Publicado por Monet Carmo em 08/01/2018 às 00h42
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (Elasendopoesia) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.
 
07/01/2018 22h09
Meu mundo de cabeça pra baixo.

🙃🙃🙃🙃🙃🙃🙃🙃🙃🙃🙃🙃🙃🙃


Publicado por Monet Carmo em 07/01/2018 às 22h09
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (Elasendopoesia) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.



Página 2 de 101 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras