... Expressividade ...

"Decifra-me mas não me conclua, eu posso te surpreender! - Clarice Lispector

Áudios

Com amor
Data: 29/12/2016
Créditos:
Texto e Voz: MoneCarmo
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (MoneCarrmo) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.



(...) Oh, once in your life you find someone
Who will turn your world around
Bring you up when you're feeling down (...)
Heaven - Bryan Adams
 


Vim me despedir de ti...
                                     Sim me despedi!

O tempo esse amigo tempo, por vezes malvado e cruel... Esse que apresenta a gente a coisas, situações e pessoas inesperadas que tem a capacidade de nos marcar por toda uma vida!

Não precisa ficar chateado comigo...
Terás meus versos enrolados em algum tempo e deixado aqui para teus olhos passarem por mim, mais repare! Pode ser que o tempo me faça trilhar por novos caminhos... Andar por outros sentimentos...

Sabe, o danado do tempo tem esse poder...
E como eu o respeito!!

Ele já me levou e já me trouxe tantas vezes que perdi as contas... O mal do tempo se chama “mergulhar” e acho que mergulhei de demais e quando decidir subir a superfície vi tanta coisa... Vi coisa bonita, vi olhares apaixonado, vi pureza e vi o mais bonito de todos os mistérios que o tempo é capaz de produzir... Recomeçar!

Sim, recomeçar!! Você consegue entender tudo isso?

Não!
Não estou feliz e nem triste!

Agora vou caminhar e correr, para tudo isso sair pelos poros junto ao suor... deixar rubro meus rosto e oxigenar meus olhos... Te perder dentro da alma inquieta por desejos que não são mais desejos. 

Apouco tempo atrás fiz uma prece e pedi que minhas memorias fossem restabelecidas e que eu pudesse rever tudo o que já me feriu... Em todos os tipo de coração que já mergulhei e que ao subir a superficie eu afoguei com o proprio ar... Diferente de agora!

Não me proíbi de não te querer...
Pois te quero e querendo e que venho me despedir!

Aceite cada sinal do tempo, observe cada posicionamento das horas... O distanciamento existe, e mesmo que as palavras seja essa poesia bonita não substitui o toque, a possibilidade e por isso decidir com o tempo seguir... 

Fico sem jeito e calada e escuto o tempo realmente rir de mim...
                   Como canta Nana Caymmi e o seu tempo...

Aprendi que não devemos recordar amores inacabados... Mais repare, já começamos acabando qualquer tipo de ... “e se”..

Nesse momento o tempo me pede pra adormecer em mim as lembranças do que inventei e inventando te matei... E morreste de um jeito tão belo... Tão liberto... Que ainda escuto teu coração pulsa.

Não olhe para traz! Agora e a verdade que te pede...

Feche os olhos e escute o que fala teu coração, não escute a emoção ou desejo... escute a razão! E a razão já sabemos o que ela pensa... E ela segue certo como sempre é...

O tempo está nos dando a oportunidade de praticar o esquecimento...

Há tanto tempo pela frente e eu preciso voar... Preciso respirar ares de liberdade... Nesse meu céu de um azul anil forte que doe nos olhos... Já voo sozinha por algum tempo e parece que o tempo me quer somente pra ele como sempre!!

Agora deixe teus olhos sob essas frases e não fique mais!

Vá...

Com amor.
 
Enviado por MoneCat em 28/12/2016

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (MonetCarrmo) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.



Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras